terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Especial Oscar 2017: La La Land - Cantando Estações

La La Land - 2016
_Que.. filme.. lin-do!

Essas foram minhas primeiras palavras ao fim da sessão de La La Land - Cantando Estações. E desde então a canção principal do filme não me saiu mais da cabeça - esperando elevador, cantarolando, esperando metrô, cantarolando, andando na rua, cantarolando. Não consigo mais descer uma escada sem entrar em cena! Não é a toa que o filme vem despontando em todas as listas de premiações (incluindo suas expressivas catorze indicações a Oscar) O filme, um musical claramente feito pra homenagear os antigos musicais, é daqueles feitos pra chamar de arte. É um quadro, colorido (bem colorido) que se mexe (sim, estou fascinada pelo filme).

Casal dançante, cantante E sapateante
A história do musical gira em torno da atriz Mia (Emma Stone, mandado um beijo pros fonaudiólogos) e do pianista Sebastian (Ryan Gosling), o casal que tem vários esbarrões acidentais coincidentes - ou não - na vida, se apaixona, se envolve, se intensifica, e, pra fechar, nos surpreende! (sem spoiler, tenho que parar por aqui!) A química entre eles é indiscutível (e já posta A Toda Prova em outra ocasião) e faz a história do casal ser mais empolgante e envolvente ainda (sim, estou fascinada pelo filme, já disse isso). 

Depois de concorrer a 7 Golden Globes (e levar os 7) todo mundo já sabia que não ia faltar La La Land no Oscar, mas falando em Oscar, o filme não apenas está presente como concorre em catorze categorias (ca-tor-ze!) se igualando a Titanic (1997) e A Malvada (1950), como filmes com mais indicações da história do Oscar. Musical que é não podia ficar de fora das categorias de som, levando a indicação de melhor Trilha Sonora para a trilha de Justin Hurwitz, Edição de Som Mixagem de Som além de ter duas de suas músicas concorrendo a Canção Original, "Audition (The fools who dream)" e "City of Stars" (ambas também do Justin). Emma já tá virando cara conhecida nas cerimônias do Oscar, mas dessa vez vem concorrendo na categoria principal, a de Melhor Atriz e o moço Ryan, que faz aulas de piano pra fingir que tocava bem (e engana muito bem) ao de Melhor Ator - bem justo, quando os dois cantam, dançam, sapateiam e ainda interpretam. E provável que o filme só não tem indicações de coadjuvantes porque a história é só deles mesmo.. 
O colorido forte e marcante (marcante mesmo) deve ter contribuído bastante pras indicações de melhor Figurino, Designe de Produção e Fotografia, e os sensacionais planos sequência dando mais ritmo pras cenas musicais pra de melhor Edição. Pra completar, a história ímpar de Damien Chalizze ainda concorre as três principais da noite, melhor Roteiro Original, Diretor e a grande, Melhor Filme.

Claro que a gente sabe que a academia adora premiar um filme que homenageia a própria classe, tão aí O Artista e Birdman de prova. Mas, quando não se ouve um demérito pra um filme onde quer que ele passe (e se ouve uma cacetada de elogios, isso sim) não tem como negar o seu merecimento.

Fica então a baita dica da caneca de musical pra todo mundo assistir!

Cris F Santana
(@CrisFSantana)

Lista de indicações ao Oscar 2017:
- Filme
- Diretor (Damien Chalizze)
- Fotografia (Linus Sandgren)
- Roteiro Original (Damien Chalizze)
- Edição (Tom Cross) 
- Designe de Produção (David Wasco) 
- Figurino (Mary Zophres) 
- Ator (Ryan Gosling)
- Atriz (Emma Stone) 
- Edição de Som (Ai-Ling Lee e Mildred Iatrou) 
- Mixagem de Som (Andy Nelson e Ai-Ling Lee)
- Canção original: Audition (The fools who dream) (Justin Hurwitz)
- Canção original de novo: City of Stars (Justin Hurwitz)
- Trilha Sonora (Justin Hurwitz)

Conheça todos os indicados: Oscar 2017 - Indicado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...