sábado, 3 de outubro de 2015

Perdido em Marte (por Victor Abadio)

(The Martian - 2015)

Matt Damon vai a Marte uma semana depois da NASA anunciar que achou água no planeta vermelho. Coincidência? Vem comigo desvendar essa conspiração.



Perdido em Marte é uma ficção científica baseada no livro de mesmo nome de Andy Weir. Na trama, uma missão a Marte tem de ser abortada por causa de uma grande tempestade que causaria danos irreparáveis ao veículo de escape da missão, portanto os astronautas são obrigados a evacuar o planeta as pressas. No meio disso, Mark Watney é atingido e dado como morto, mas isso não aconteceu. A estréia do autor no mundo literário recebeu críticas e muito boas não só pela sua história mas também pela sua riqueza de detalhes técnicos sobre uma missão espacial. O filme seguiu a mesma linha, só que contou muito com a ajuda da Agência Espacial Americana (NASA) para verificar a veracidade dessas situações.

Alguns diriam que a NASA segurou a informação sobre o achado de água em Marte até o lançamento do filme em que esteve ativamente envolvida para ter mais publicidade, e com isso conseguir mais fundos para suas pesquisas. Cabe a cada um acreditar ou não...

O filme é lindo de ver. A cinematografia do diretor Ridley Scott está tão presente quanto em suas outras (famosas) viagens ao espaço (Alien, Prometheus), porém este não segue a mesma "linha" de seus meio irmãos. Perdido em Marte é otimista. Isso geralmente não é esperado de um filme de Scott, que geralmente gosta do nuance de suspense e situações nervosas.

Tendo lido o livro, arrisco dizer que a adaptação de Ridley Scott foi somente um resumo com visão positiva da obra de Andy Weir. O protagonista Mark Watney passa por inúmeras situações de perigo em que tem que atingir fundo em sua mente para construir uma solução, e no filme essas situações podem ser contadas numa mão. Só não digo que a situação dele é leve na adapatação porque ele ainda está sozinho em Marte e a ajuda está a 4 anos de distância.

Além disso, o filme construiu um balanço maior entre as cenas em Marte e na Terra (no livro passamos mais tempo com Watney), e isso foi uma boa surpresa. Deixou o filme mais dinâmico onde eu me preocupava que poderia ser monótono. As cenas com a tripulação da missão - que conta com nomes como Jessica Chastain, Kate Mara e Sebastian Stan - foram muito bem feitas e merecem destaque.

Matt Damon está muito bem, como sempre. Ele incorporou muito bem o bom humor que o personagem mantém nessa situação de adversidade e nos convence de que tudo vai ficar bem assim que ele resolver o próximo problema.

Perdido em Marte vale seu ingresso ao cinema, e uma olhadela ao planeta que tanto aparecerá na mídia nos próximos anos.

3 comentários:

  1. Apesar de não ter lido o livro achei o filme formidável. Muito bem feito mesmo e prende a atenção do primeiro ao último minuto. Em muitos momentos estive totalmente ansiosa como se eu estivesse em marte!
    Super recomendo a ida ao cinema, com certeza vale o ingresso!

    ResponderExcluir
  2. Também não li o livro. Mas pretendo!
    É perceptível o cuidado que os produtores do filme tiveram em fazer parecer o mais verossímil possível! Eu achei incrível!
    E não posso deixar de citar a trilha sonora discotequinha! Faz parte do livro também ou foi uma tentativa de usar a receita de sucesso já comprovada pelos Guaridões da Galáxia?
    Ótimo filme!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz parte do livro também rs
      O Watney não se cansa em malhar as músicas da comandante, e o repertório é até maior.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...