sábado, 31 de janeiro de 2015

Especial Oscar 2015: Birdman (Por Cris F Santana)

(Birdman - 2014)

Birdman na verdade é a versão fictícia de uma história quase real. Explico! Riggan Thomas é um ator veterano que interpretou por vários filmes o herói Birdman, mas que decidiu parar de fazer o personagem no auge da fama, antes do quarto filme. E agora, tenta entrar para o time dos diretores/atores/produtores de teatro da Broadway, porque acredita que assim poderia dizer ter feito algo relevante na vida (não sei o que ele tem contra os heróis). Michael Keaton, o ator que interpreta Riggan, teve como auge de sua carreira os filmes onde interpretou Batman (1989/1992). E também, aparentemente, desistiu do personagem. O ator personagem está tentando reverter, no teatro, o auge de sua decadência. E esse jogo entre ficção e realidade também acontece na mente de Riggan. A construção da personagem e seus pontos de afetação mental é brilhante. O retrato do ambiente de teatro, o empresário preocupado com dinheiro e processos, a assistente filha, as atrizes e seus egos frágeis alternados com oscilações de auto-estima, os atores de egos inflados e personalidade alternante. Todas essas representações da forma de representar, criam uma interessante história. E ainda tem o homem pássaro!


Editado de modo a parecer um filme quase completo em plano sequência, faz os mais atentos gastarem uma parte de atenção procurando os cortes de cena. E estes são geralmente realizados em pequenas passagens em desfoque ou atravessando portas. Esse modelo de filmagem faz o filme ter tomadas longas que ampliam o desafio da interpretação e enfatizam a qualidade dos atores em cena. Além de contribuir para um tom metalinguístico no filme.

O filme tem nove indicações a estatuetas, empatado com O Grande Hotel Budapeste, o maior número de indicações ao Oscar em 2015. As indicações por Edição de Som e Mixagem de Som podem ser bastante representadas no filme, justamente, pela construção do plano contínuo, o áudio de uma cena em todas as sequências, "atravessa"para a outra cena, sem que nada se perca ou se altere. Algo que realmente destacaria no filme é a luz. As imagens são realmente lindas e não me surpreenderia se o filme conquistasse a estatueta de Melhor Fotografia. O roteiro, do próprio diretor, Alejandro González Iñárritu, é um bom candidato ao premio de Melhor Roteiro Original. Emma Stone está linda, como sempre, no papel de Sam, a conturbada e perturbada filha de Riggan, e concorre ao Oscar de Melhor Atriz CoadjuvanteEdward Norton (de Clube da Luta), se destaca no papel de Mike, o ator oportunista, concorre ao prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (onde vai ter trabalho para superar o favorito J.K. Simmons de Whiplash). Michael Keaton, o protagonista, concorre como Melhor Ator, mas não parece ser o favorito da Academia. O mexicano Alejandro G. Iñárritu também é candidato a estatueta de Melhor Diretor. E deve concorrer de frente com Richard Linklater (de Boyhood) por essa (afinal, não da pra desvalorizar o cara que dirige 12 anos o mesmo filme). E por fim, o filme concorre ao grande prêmio da cerimônia, o de Melhor Filme, sendo merecidamente um dos favoritos da estatueta.

Pessoalmente, não só indico o filme, como torço por ele em diversas categorias. Em uma opinião pessoal e objetiva, Birdman é do caral**!

Update: O Filme venceu quatro de suas indicações ao Oscar, ficando com as estatuetas de Melhor Diretor (Alejandro G. Iñárritu), Melhor Roteiro Original (também do Alejandro), Melhor Fotografia (para Emmanuel Lubezki) e a tão cobiçada estatueta de Melhor Filme.


(Cris F Santana)



Mais algumas curiosidades relacionadas a Birdman:
Emma Stone, que interpreta a filha de Riggan, gravou Birdman durante um intervalo entre as  gravações de Amazing Spider-Man 2, e agora é pelo "projeto paralelo" que concorre a uma estatueta. 0-
Keaton é o primeiro cara indicado a melhor ator por um personagem fictício, desde Clint Eastwood em 2004. Esse ano mesmo são 4 biografados (o soldado, o matemático, o astrofísico e o treinador) e ele.

2 comentários:

  1. Sobre a simulação de plano sequência penso que é como se a câmera fosse a perspectiva do próprio Birdman, que representa a tentação de se entregar ao entretenimento fácil agradando o grande público ao invés de buscar o reconhecimento da crítica especializada. E essa tentação somos nós! Somos a câmera no ombro de Riggan que espera pelo Birdman 4. Somos o grande público que idolatra o personagem pipoca e não nos importamos com o Teatro cabeça. Não é uma crítica ao público, mas uma forma de demonstrar como a luta entre arte e entretenimento funciona na cabeça do ator. A voz que o chama para retornar ao cinema é a nossa voz.

    Isso pode ser aplicado na indústria de hoje. Explica o motivo de Matthew Mcconaughey mudar suas escolhas de roteiro depois de anos de sucesso em comédias românticas. Explica a resistência de Jennifer Aniston de aceitar um reunion de Friends. Acho que Birdman nos leva a pensar no ator como artista humano que tenta equilibrar as pressões do público e de seus pares além de ter de lidar com sua família, suas escolhas pessoais, sua falta de grana etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimas colocações! Me agradaria ter utilizado destes pontos durante a elaboração do texto. =)
      Gostei principalmente da visão sobre a aplicação do plano sequência. Mas também concordo com a visão "crítica" da indústria cinematográfica atual. É, inclusuve, um dos temas mais comentados sobre o filme pela interwebs.

      Obrigada pelo comentário!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...