sexta-feira, 13 de março de 2015

Terror na Caneca: O Nevoeiro (por Karen Alvares)

(The Mist, 2007)

Em Sexta-Feira 13 que se preze não pode faltar um bom filme de terror. Mas não temam, queridos canequeiros! O Terror na Caneca chegou trazendo a dica da semana - e da Sexta 13!

Vocês vão dizer que eu só gosto de filmes do Stephen King, mas fazer o que se ele é o mestre do terror? (eu juro que vejo e gosto de outros filmes de terror, ok? Fui eu que indiquei Martyrs pro Sansão, sabiam?). 

O Nevoeiro, a exemplo de 1408 (leia a crítica), também é a adaptação de um conto, dessa vez presente na coletânea Tripulação de Esqueletos (Objetiva, 2002). A trama (das duas obras) acontece quase completamente em um supermercado, enquanto pessoas extremamente diferentes entre si tentam sobreviver ao horror desconhecido que se esconde em uma névoa misteriosa que invade, aparentemente, todos os lugares. Mas, como sempre acontece nas obras do King, o mais assustador sempre são, de fato, as pessoas.

O filme, dirigido pelo ótimo Frank Darabont (Walking Dead, quando ainda era bom), revela o quanto as pessoas podem ser muito mais horríveis que o monstros ocultos na névoa. Surgem questionamentos profundos, especialmente quanto à religião e até onde uma pessoa consegue chegar para sobreviver em uma situação extrema - e para proteger as pessoas que ama.

É de aplaudir que um filme consiga ser tão interessante e mexa tanto com os sentimentos de um telespectador acontecendo praticamente em um único cenário: um supermercado. Mas o roteiro é bastante envolvente e foca especialmente nos personagens, que realmente são o brilho da história. As atuações são convincentes, e apesar das caras mais conhecidas serem os atores de Walking Dead (Laurie Holden, Jeffrey DeMunn), série posterior ao filme, quem realmente rouba a cena é Marcia Gay Harden, que interpreta a insana e fanática religiosa Mrs. Carmody.

Filme recomendadíssimo para quem gosta de terror e de uma tensão crescente, mistério e muitos conflitos humanos. Para os fãs de King, há ainda uma deliciosa referência à épica série A Torre Negra, logo no comecinho do filme. Vale lembrar: adoro o conto do King, mas o final da adaptação é muito superior ao final da obra original. E olha que é difícil eu admitir essas coisas. 5 canecas e só tem um jeito de descobrir o que se esconde na névoa: assistindo.

Por Karen Alvares

Karen Alvares é escritora, blogueira e adora comer chocolate assistindo a filmes de terror e séries sanguinolentas, mas de vez em quando dá uma chance a romances docinhos. É autora do romance Alameda dos Pesadelos e de contos. Siga @karen_alvares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...