quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Especial Oscar 2015: Whiplash - Em Busca da Perfeição (Por Cris F Santana)

(Whiplash - 2014)

Poderia se dizer que Whiplash é um filme sobre determinação, mas talvez seja mais verdadeiro dizer que é um filme sobre obsessão. Andrew Neyman (Miles Teller, de Divergente) é um jovem baterista que não deseja mais nada na vida além de estar entre os melhores baterista da história. E para tal, se submete aos ensinamentos do professor de música tão ou mais obcecado pela perfeição quanto o aluno. O renomado professor Terence Fletcher (J.K. Simmons, de Homem Aranha) segue sua própria (e não tão incomum, no mundo real)  metodologia. Baseado no conceito de que a crítica negativa é mais construtiva que o elogio, cria um modelo perturbador de ensino. Boa parte dos que assistem, certamente, se identificam aqui de algum modo com o estudante.



A história segue uma linha onde o conflito da superação pessoal de Neyman se mistura ou se confunde com o de provar sua capacidade ao professor. Um filme onde nosso julgamento sobre onde se localiza a linha limite da sanidade são provocados todo o tempo.

Por mais que se trate de uma história sobre música, é um filme bastante visual. Onde as imagens de esforço e sacrifício, de alguma maneira sinestésica, cegam os ouvidos (me pergunte como). 

Apesar de um ótimo filme, merecedor do seu lugar entre os oito, não deve levar a estatueta de sua indicação a melhor filme. Também colocaria em dúvida a capacidade de Damien Chazelle, diretor e roteirista, de ter sua adaptação do, também seu, curta metragem para o longa, merecedora da estatueta de melhor roteiro adaptado. A montagem, de fácil compreensão, é merecedora da indicação, assim como a mixagem de som não poderia deixar de se destacar em um filme onde a música está em primeiro plano.
O grande destaque de Whiplash na cerimônia do Oscar, deve ser, sem dúvidas, para J. K. Simmons como melhor ator coadjuvante. Sua atuação como  o professor Fletcher se destaca facilmente e principalmente pela marcante intensidade das cenas (que lhe renderam inclusive duas costelas quebradas durante as gravações).

É um filme realmente belo, e pode se dizer, emocionante. Se faz impossível não solidarizar-se ao protagonista em diversos momentos. Assim como tenho dito sobre os indicados ao Oscar que comentei, merece ser assistido.

(Cris F Santana)

Uma última curiosidade, para os fãs do série teen Glee, a atriz Melissa Benoist, protagonista das últimas temporadas, participa do filme como Nicole, a namorada de Neyman (mas infelizmente não canta neste filme). 

Update: O filme levou as estatuetas de Melhor Edição, Mixagem de Som e (claro!) de Melhor Ator Coadjuvante para J. K. Simmons.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...