quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Trash - A Esperança Vem do Lixo (por Salemme)

Trash - A Esperança Vem do Lixo (2014)

Tive uma grata surpresa ao assistir hoje o filme Trash: a esperança vem do lixo, de 2014. O enredo não poderia ser mais atual: corrupção, espalhada por todos os lados, inclusive entre os órgãos que deveriam defender os cidadãos.

Rafael (Rickson Tevez) e Gardo (Eduardo Luís) são dois adolescentes que moram no lixão do Rio de Janeiro e trabalham catando e separando lixo para ganhar uns trocados e sobreviver. Um dia, Rafael encontra uma carteira recheada de dinheiro no meio da montanha de sacos e objetos jogados fora, o garoto divide a grana com seu amigo Gardo e decide guardar a carteira (que tem algumas fotos, cartões e uma chave). Eis que no dia seguinte, a policia aparece no lixão oferecendo a “honrosa” quantia de vinte reais (sim, vinte) para quem se empenhar em procurar a carteira perdida e mais uma recompensa para quem efetivamente acha-la.



Ainda que o valor da recompensa seja interessante para os garotos, Rafael não confia em Frederico (Selton Mello), o policial que está encarregado de achar a carteira, e decide não revelar seu segredo. Intrigados, os garotos procuram a ajuda de Rato (Gabriel Weinstein), outro garoto do lixão que abraça com eles a tarefa de descobrir porque aquela carteira tem tanta importância para a policia. Os três saem então atrás de pistas deixadas pelo dono da carteira, José Angelo (Wagner Moura).

Logo o trio vai perceber que a coisa é séria, um politico influente e uma rede de corrupção estão por trás de tudo isso e eles se veem dentro de uma grande encrenca que não coloca apenas eles em risco, mas também o Padre Julliard (Martin Sheen) e a Professora Olivia (Rooney Mara), ambos trabalham na comunidade e acabam envolvidos na trama.

Mesmo passando por situações extremamente complicadas até mesmo para um adulto, os meninos não desistem de ir até o final, principalmente depois de descobrirem que o que estão fazendo ajudará a finalizar um trabalho de muitos e muitos anos.

A direção de Stephen Daldry (O Leitor, As Horas e Billy Elliot) deixou o filme muito bem amarrado e intrigante.

O filme me emocionou. Pelo enredo, pelas imagens, pelas verdades que estão ali, pela esperança de termos mais Rafaéis, mais Gardos e mais Ratos no nosso mundo real. Além é claro de mais professores e padres destemidos em prol da verdade.

Se não assistiu ainda, assista, está mais do que recomendado!

Salemme
(@DaniSalemme)


“a gente continuou porque era isso que parecia certo”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...