segunda-feira, 26 de outubro de 2015

As Vantagens de Ser Invisível (por Cris F Santana)

(The Perks of Being a Wallflower - 2012)

Uma confissão pessoal: Tenho uma séria dificuldade em escrever sobre filmes que me afetam profundamente. E claramente As Vantagens de Ser Invisível faz parte dessa lista.



O drama, dirigido por Stephen Chbosky, baseado em seu próprio livro (o que talvez explique uma adaptação tão boa, chamaria de dois pontos de vista da mesma história) homônimo, nos mostra a história de Charlie. Um adolescente que perdeu o seu melhor e único amigo tragicamente, mas que tem sua vida completamente alterada ao voltar ao colégio e conhecer Sam e Patrick, irmãos de pais (e mães) diferentes. Não se trata de um simples drama adolescente, tudo nesta história é muito mais profundo do que isso. Charlie é introspectivo, é melancólico, é reprimido, é intrigante, é solitário, é reflexivo, é ingênuo, é dependente, é amigo, é filho e irmão, é intenso, é especial. Mas são Patrick e Sam que fazem a história de Charlie realmente valer a pena.

É possível dizer que não haveria meios de o elenco do filme ser melhor escolhido (li o livro, é sério isso!) Logan Lerman (o menino acusado de roubar raios) é Charlie e deu à personagem toda a sensibilidade e introspecção que era esperada e necessária. Não encontrei palavras para descrever o quanto Emma Watson (eternamente a melhor bruxa) interpreta exatamente Sam. Bela, inteligente, apaixonante, e com sua personalidade que, apesar de externalizar uma imagem de garota para a qual nada é impossível, na verdade guarda em defensiva dentro de si sua real amabilidade e inseguranças. Ambos são genais! Mas, quem acredito que realmente rouba a cena no filme, é Ezra Miller (O serial-killer de quem precisavam falar e em breve o herói do raio), no papel de Patrick o jovem gay, incompreendido, segregado, bullynado (não sabia como conjugar isso) e que além disso tudo, ainda vive uma paixão secreta pelo garoto destaque do time de futebol e provavelmente pra sempre no armário (ia dizer em Nárnia mas achei que podia ser difícil apreender a referência). E que, contra todas as expectativas, é um cara incrivelmente bom e compreensivo, que tem o dom particular de entender a alma dos amigos. E Ezra constrói a sutiliza artística de Patrick de tal forma a se encaixar integralmente com a personalidade exótica e excêntrica da personagem.


Somente a história e toda a sua profundidade e qualidade de roteiro e interpretação já bastariam para indicar o filme. Mas jamais poderia escrever sobre esse filme sem mencionar que tem uma de longe a minha favorita trilha sonora sensacional (escolhi a dedo pelo autor do livro). O gosto particular dos meio não irmãos Sam e Patrick (e obrigado autor do livro por isso) reproduz uma porção de clássicos do rock pop anos 80 (amo/sou). A trilha inclui Temptation por New Order, Asleep por The Smithis, só pra começar a citar. Aqui tem a trilha completa no YouTube (e Aqui a playlist pra quem usa Spotify). 



A trila sonora, aliás, é fator determinante que faz este filme possuir uma das cenas da minha lista de "mais belas cenas de filme de todos os tempos" quando Emma "flutua" do lado de fora da cabine de uma picape em movimento ao som de Heroes de David Bowie.




Enfim, não faltam motivos para elogiar As Vantagens de Ser Invisível, ou para sugerir que o filme seja assistido. Já assumi que sou suspeita nesta indicação, e nem acredito que consegui expressar tudo que realmente o filme me traz. Mas insisto em dizer, aos amantes de dramas e/ou histórias que inspiram reflexão. Este filme definitivamente precisar na lista de assistidos. 

(Cris F Santana)

PS. Os raios de Logan e Ezra não tem nada em comum.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...