segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Missão: Impossível - Nação Secreta (por Cris F Santana)

Mission: Impossible - Rogue Nation (2015)

A primeira impressão do filme é: Tom Cruise continua "O Cara". O novo filme da franquia, o quinto da sequência, é dirigido por Christopher McQuarrie, e já começa com o mocinho pendurado do lado de fora da porta de um avião em vôo! (Cena feita sem dublês ou grandes efeitos especiais, Tom voou mesmo!).  



Um ponto interessante dos filmes Missão: Impossível é que cada um deles foi feito por um diretor (Brian De Palma, John Woo, J.J. Abrams e Brad Bird, na sequência) e todos com o mesmo mocinho, Ethan Hunt (o menino Tom), o que criou na franquia a característica de apesar de ter sempre um roteiro parecido, cada filme ser feito assumindo as características do diretor da vez (e todos muito bem feitos).

Neste quinto filme, após mais uma missão cheia de consequências desastrosas, a IMF é desintegrada pela CIA (aqui representada por um de seus diretores, interpretado por Alec Baldwin), acontece que durante a finalização de sua última missão, Hunt descobre que o famoso Sindicato existe de verdade (uma galera formada por ex-agentes, ou seja, com os mesmos treinamentos dele, de vários países, caçando agentes atuais #recalque), a tal Nação Secreta do título, e está tentando obter o que seria uma lista dos agentes atuais em serviço. Hunt decide obter estes dados antes do Sindicado (porque claro, é isso que os mocinhos fazem!). E evidente que essa lista está guardada dentro de uma sala com várias fases de segurança em um lugar impossível de entrar. Mas.. Nenhuma Missão é Impossível para Ethan Hunt ( #baduntis ) E aí começa a aventura do filme (mais de duas horas de aventura!) . 

Claro que dezenove anos depois do primeiro filme (aquele que o Tom fica pendurado na cordinha a centímetros do alarme), Tom Cruise não é mais nenhum jovenzinho (pasmem, ele já tem 52 anos, e continua dando porrada) e esse é um ponto brilhantemente explorado no filme. Hunt não é mais intocável. Ele cansa, ele bate mas também apanha, e ele raramente leva uma briga sozinho, ele precisa de ajuda! A utilização do humor nessa contrapartida ficou bastante equilibrada e divertida, um ponto alto do filme. Existem sutilizas naturais que dão veracidade aos personagens, como uma virada de olhos quando Hunt sabe que vai apanhar, coisas assim. Mas óbvio (não se preocupem, fãs) que os exageros de resistência física continuam lá pra não deixar de ser o filme que é. A escalação do elenco que interpretou o #TeamHunt fez a diferença neste ponto. Vemos Jeremy Runner (o Gavião Arqueiro, de terno e sem arco, que pena) interpretando William Brandt, o chefe na IMF. Ving Rhames (como sempre, nos cinco filmes) como Luther Stickell o cara do apoio de invasão. E Simon Pegg (como sempre, em quase todos) o braço direito de Hunt em campo, Benji Dunn. No time do mal, Sean Harris (com uma voz estranha a beça) também manda bem como o vilão chefe do Sindicado (deu vontade de dar na cara dele, bobão!).



Vale um destaque especial para a personagem feminina da vez, a suéca Rebecca Ferguson (que eu não lembro de ter visto em lugar nenhum, mas já me apaixonei) é Ilsa Faust. Não dá pra dizer pra quem ela trabalha sem dar spoilers, mas dá pra dizer que ela criou uma química de atuação incrível com Tom no filme (principalmente dando porrada, também sem dublês). Não que exista algo de realmente imprevisível na história, mas brincar de apostar de que lado ela está é divertido. Estou registrando elogios para a atuação de Rebeca (e puxa vida, que mulher linda!). 

Missão: Impossível - Nação Secreta é aquele tipo de filme que você sai de casa sabendo quase exatamente o que vai ver na sessão e, mesmo assim, sai do cinema com sorriso no rosto de satisfação pelo que assistiu! Enfim, se você nunca assistiu Missão Impossível e gosta de ação bem humorada, vá assistir! E se você já assistiu e gostou, tá esperando o que pra ir ao cinema, irmão?!  

Cris F Santana


PS. Uma curiosidade o número 108 (importante em um momento do filme) é a soma dos famosos números de Lost: 4, 8, 15, 16, 23, 42 #mindblown (Fonte IMDb)
PS.2 Carro de mocinho é BMW, carro de vilão é Audi. Qual você prefere?
PS.3 Já mencionei o quanto Rebeca Ferguson é linda? 

Um comentário:

  1. Porque não teve esse plot de Lost quando tinha uma ator de Lost no elenco (filme #4)? rs
    E sim, Rebecca Ferguson é linda demais e chuta muitas bundas.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...