domingo, 9 de fevereiro de 2014

Especial Oscar 2014: Trapaça (Por Rodrigo Sansão)


(American Hustle)

Inicialmente não tinha a intenção de escrever sobre Trapaça, afinal minha parceira de blog, Cris F Santana já iria escrever sua crítica.  Não achei o trailer chamativo, a história parecia um pouco chata.
Porém, o fato de ter 10 indicações ao Oscar nos fez mudar de ideia e combinamos de ter uma crítica de cada para o filme.



Bem, assisti Trapaça e até me surpreendi. As atuações são simplesmente impecáveis. 

A começar pelo ator Christian Bale indicado como melhor ator. A produção do personagem é sensacional. Já não é o primeiro filme que ele é obrigado a mudar totalmente a aparência para atuar. Teve que engordar mais de 15 kg para viver o personagem Irving Rosenfeld,  um charlatão que é um dos pontos centrais da trama. Começou o filme brilhantemente, mas foi aos poucos sendo superado pelos seus companheiros de cena. A indicação é merecida, mas acho que não é o meu favorito para levar esse prêmio. 

Indicada como melhor atriz, Amy Adams interpretou Sydney Prosser,  a amante e companheira de golpes de Irving. Foi muito bem até o meio do filme, quando eu acho que se perdeu. Mas não pela atuação e sim pela personagem. A personagem que era forte no começo terminou sem nenhum destaque, poderia ter terminado melhor.

Bem, sobre Bradley Cooper, o cara arrebentou. Interpretou Richie DiMaso,  um agente do FBI que busca prender corruptos a todo custo. Atuação simplesmente sensacional. Foi brilhante do começo ao fim. Já conhecia alguns trabalhos bons dele em O Lado bom da Vida e Se beber não case, mas em Trapaça, ele se superou. Se não houver surpresas, o prêmio de melhor ator coadjuvante já é dele.

Já Jennifer Lawrence, terei que ser "do contra", diferentemente de todos os elogios que tenho lido sobre sua atuação, eu não gostei tanto! Gosto muito dos trabalhos da Jennifer Lawrence, mas sinceramente, nesse papel, não me convenceu. A impressão que deu é que ela demorou a se encaixar na personagem, Rosalyn Rosenfeld, a esposa traída de Irving. Só começou a melhorar da metade pro final e somente ai, demonstrou seu característico talento e conseguiu dar uma pilhada no filme. Compreendo que a personagem era complicada, mas em certos momentos pareceu um pouco exagerada. Torcerei pra ela no Oscar, mas apenas por um gosto pessoal mesmo.

O filme foi otimamente dirigido por David O. Russell, embora como Melhor Diretor, pra mim já é superado por Martin Scorsese de O Lobo de Wall Street. 

Nos prêmios mais técnicos (Figurino, Montagem e Design de Produção), o filme é favorito, sim. Claramente foi um trabalho muito bem feito. 

O filme peca apenas na historia. Particularmente é o ponto que não gostei. O ritmo do filme é bom e não é cansativo. Porém, a trama é um tanto quanto confusa e você fica no aguardo de uma reviravolta, de um desfecho impactante e o que recebe é um final cheio de clichês. A impressão que deu é que precisaram correr para terminar logo o filme, muitas coisas ficaram mal explicadas e não consigo dizer por exemplo que grande trapaça é essa afinal. A trapaça do FBI, a trapaça dos vigaristas, a trapaça da máfia?

Dos filmes que assisti, indicados a melhor filme esse foi a historia mais fraca. Costumo pesar muito o filme através da história, embora seja muito bem feito e construído, não tem minha preferência, principalmente para Melhor Filme.

E você Cris F Santana, o que achou do filme? 

Resposta no próximo post :)

Update: O filme não levou nenhuma das 10 estatuetas as quais foi indicado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...