terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Especial Oscar 2014: O Lobo de Wall Street (Por Rodrigo Sansão)


Inaugurando aqui o blog, já começaremos com o Especial Oscar 2014. Tentaremos falar um pouco sobre cada um dos filmes indicados ao Oscar. Nossa meta é assistir e escrever todos eles até o dia de cerimônia. Boa sorte pra nós e vamos lá. 

Sobre o filme O Lobo de Wall Street o que posso dizer é que se trata de um filme pilhado.  Martin Scorsese dirige o filme que nos alucina com pitadas de loucura, muito sexo, muitas (mas muitas) drogas e muita "ostentação". 



[contém SPOILER]


A história narra a trajetória de Jordan Belfort, interpretado por Leonardo DiCaprio. Desde cedo, Jordan mostra seu potencial para os negócios e consegue uma oportunidade de trabalho na Bolsa de Valores de Wall Street. Em pouco tempo, torna-se corretor da Bolsa e quando esperava arrebentar nos negócios,  acontece o Black Monday, dia que despencou as principais ações e fez com que Jordan perdesse seu emprego. Longe de desistir, ele descobre uma forma de dar a volta por cima e ganhar muito dinheiro. Através de ações de empresas menores e polpudas comissões, Jordan se junta a alguns ex parceiros, vendedores pouco comuns e abre a Stratton Oakmont, empresa pela qual lhe daria muito dinheiro.
Com sua lábia, conquista, motiva e ensina seus funcionários a venderem e serem os melhores no que fazem. A empresa se torna uma selva, muita gritaria, muita vibração e muitos negócios. O sucesso traz então para Jordan e seus parceiros muito dinheiro e suas obvias consequências como  mansões, carros, iates, helicópteros e todas as futilidades possíveis e imagináveis. Além de desfrutarem de todo o tipo de droga e de  todos os prazeres sexuais que tenham direito.
Mas não é apenas de glórias que vive Jordan Belfort. Vislumbrado com o dinheiro e fama, Jordan  começa a deixar rastros de ilegalidades e se torna alvo de investigações  e perseguido pelo FBI.  Para piorar, ele precisa administrar os problemas entre seus desequilibrados sócios e ainda manter vivo seu casamento que está por um fio.

Mesmo que aparentemente pareça uma temática pesada, chama atenção a quantidade de cenas de sexo durante o filme. Para os mais moralistas, o filme irá chocar.  Cenas de masturbação e orgias são comuns no filme. O uso de drogas também é frenético.  A mistura de sexo e drogas parecem ser a representação da loucura resultante da abundancia de dinheiro.

Por curiosidade, tente contar quantas vezes alguém diz a palavra "fuck" durante o filme, segundo me contaram foram mais de 500 vezes. 

O ponto negativo do filme é a duração. São "apenas" 3 horas de duração. Por mais que o ritmo acelerado e frenético te distraia, você vai acabar bocejando algumas vezes enquanto assiste. Algumas cenas são um tanto desnecessárias e na minha opinião daria pra cortar pelo menos 1 hora de filme tranquilamente que não perderia a sua essência.

Quanto as indicações, todas são justas.

Martin Scorsese mais uma vez mostra porque é um gênio do cinema, fez um filme impecável. Tornou o filme com uma temática séria em um filme quase pastelão muito bem humorado e gostoso de assistir (embora repito, peca nas 3 horas de duração).

 Jonah Hill, como melhor ator coadjuvante, interpretando  Donnie Azoff, melhor amigo e sócio de Jordan, trabalhou tão bem o personagem que por vezes sobressaiu o próprio Jordan. 

E por fim, Leonardo DiCaprio que mais uma vez arrebentou na interpretação. Foi impecável como na maioria de seus papéis. Consegue contornar alegrias, tristezas, amor e ódio como se fosse brincadeira. O papel de motivador da equipe lhe caiu muitíssimo bem.
Porém, algo de Jordan me remete ao papel que interpretou em "Prenda-me se for capaz", talvez pela esperteza e pela ganancia de ambos. 
Admito que não é o meu favorito ao Oscar, embora seja bem merecido.

Quanto as outras indicações, Roteiro Adaptado e Melhor Filme, não acredito que possam ganhar, mas é muito mais por opinião pessoal mesmo do que por questão técnica. 

Achei o filme muito louco, alucinante e frenético. Embora o tema fuja das minhas preferencias e simplesmente não me toca. É um daqueles filmes muito bons,  mas que só se vê apenas uma vez, até porque né, são 3 horas na frente da telinha!! 

Update: O filme não levou nenhuma das estatuetas as quais foi indicado.

2 comentários:

  1. Achei fera esse Rodrigo Sansão! Grande crítico! Boa sorte pra vcs no blog :)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...